O levantamento do índice de infestação do Aedes aegypti, feito este mês, mostrou que 98% dos focos estão dentro das residências e comércios.

O setor de Vigilância Epidemiológica, da Prefeitura Municipal de Lagoa da Prata, apresentou nesta semana o resultado do LIRAa (Levantamento de Índice Rápido para Aedes aegypti). A pesquisa, realizada do dia 06 ao dia 10 de janeiro, apontou 6,7% de infestação do mosquito na cidade, número considerado de alto risco.

A equipe dos agentes de epidemiologia vistoriou nesses cinco dias o total de 1.283 imóveis e encontrou 98,2% dos focos do mosquito dentro das residências e comércios. Apenas 1,8% foi encontrado em terrenos baldios, ou seja, os locais de maior proliferação do Aedes são os que possuem moradores ou funcionários.

Em 2019 o Brasil registrou quase mil mortes por dengue, e em Lagoa da Prata foram três óbitos. Para o secretário municipal de Saúde, Geraldo Almeida, ainda há comodismo das pessoas em geral pois, mesmo sabendo a gravidade da situação, continuam permitindo a proliferação do Aedes aegypti: “As pessoas, no geral, precisam sair da mesmice e tirar 15 minutos pelo menos uma vez por semana para uma inspeção em suas casas e locais de trabalho, eliminando tudo que acumula água parada”, disse.

Geraldo também disse que o Setor de Vigilância Epidemiológica agirá com maior rigor quanto à aplicação de multa para pessoas que tiverem suas casas ou lojas com reincidência de focos, conforme a Lei Municipal 005/1991. O valor da multa é uma UFMLP (Unidade Fiscal do Município de Lagoa da Prata) para a primeira reincidência, que corresponde a R$369,14. A medida é para fazer com que as pessoas que ainda não cuidam dos seus imóveis tenham ações mais efetivas, passando a evitar a proliferação do mosquito.

O LIRAa  aconteceu em todos os bairros da cidade e em todos eles foram coletadas larvas. O Centro é o bairro com maior número de focos, e na sequência vêm: Sol Nascente, Santa Eugênia, Gomes, Maria Fernanda II, Chico Miranda, Cidade Jardim, Santa Helena, Santa Alexandrina, Monsenhor Alfredo, Américo Silva, Maria Fernanda I, Marília, São Francisco, São José, Rodolfo Pio, Nossa Senhora das Graças, Clara Luciano, Cohab Américo Silva e Santa Eugênia II.

Não há comentários para este post

Deixe uma resposta

Seu email não será publicado. Campos marcados com (*) são obrigatórios.

Skip to content