Com as obras de drenagem, Lagoa da Prata foi capaz de suportar com êxito as chuvas severas deste início de ano.

Os períodos chuvosos em Lagoa da Prata têm castigado algumas famílias que moram perto dos pontos de alagamento, e isso é uma preocupação da atual gestão municipal. Felizmente, boa parte do problema já foi resolvida com várias obras de drenagem pluvial que a Prefeitura e o SAAE já realizaram, sem contar as que estão em andamento.

Em 2013, o diagnóstico da cidade apresentava grande necessidade de execuções para escoamento de água. Um fator que contribuiu para essa situação foi a falta de exigência para que os donos de loteamentos fizessem o trabalho de drenagem antes de colocarem os terrenos à venda.

Uma das providências então foi incluir no Plano Diretor a drenagem como parte da infraestrutura cobrada das loteadoras, e colocar mais rigor no cumprimento da lei, para propiciar a correta expansão da cidade. Concomitantemente, Prefeitura e SAAE estabeleceram prioridades e começaram as obras de drenagem pluvial pela Rua Paraíba. O resultado, neste local, é um conforto enorme para quem já viveu na pele o antes e o depois.

Os trabalhos se estenderam para outras localidades, como nos bairros Paradiso, Marília, Gomes, Américo Silva, Mangabeiras, Cel. Luciano, Cidade Jardim e Santa Helena. Um grande  Destaque para as obras na Rua Rede dos Ferroviários e Avenida das Palmeiras, em tono da lagoa: Nestes locais foram construídas também bacias de contenção de sólidos (barraginhas), que filtram a água da chuva para que a enxurrada não mais assoreie a lagoa.

Av. Isabel de Castro

Um dos principais pontos da cidade que requerem urgência de drenagem é a Avenida Isabel de Castro, que está recebendo atenção especial.  Recentemente foi elaborado o estudo hidrológico e um projeto que aborda essa avenida. Como o custo das obras é muito elevado, elas estão sendo realizadas gradativamente e com planejamento.

Está previsto para começar em março uma nova etapa na Isabel de Castro. Será dada a continuidade de uma galeria de concreto já existente. Ela possui 2,5m de largura por 3,0m de altura e foi instalada há muitas décadas perto da Apaae, num trecho até a rua Bom Despacho. A construção então irá estender esta galeria até a rua Luz, um percurso de 226 metros. Também serão construídas várias caixas coletoras, bocas de lobo e toda infraestrutura para receber pavimentação neste local.

O outro trecho da Isabel de Castro, entre a Embaré e o Umuarama, será contemplado em outra etapa, já que o projeto abrange a avenida por completo. A administração municipal e a diretoria do SAAE sabem que ainda existem muitos pontos de alagamento a serem sanados, e deixa claro que os trabalhos irão continuar de acordo com as possibilidades financeiras. Mas é importante lembrar que o empenho que a atual gestão municipal e o SAAE estão direcionado para o correto escoamento de águas pluviais, desde 2013, alcançou um êxito grandioso.

Os resultados podem ser comprovados em muitos locais que receberam as obras:

 

Rodrigo Ferreira Gomes, 52 anos, mora na Avenida do Contorno, bairro Cel. Luciano

“Melhorou muito depois das obras. A avenida na época da chuva ficava com tanto barro que era preciso usar trator para limpar. Agora não tem mais barro, e mesmo quando a chuva é severa, ela escoa rapidamente”:

 

 

 

 

 

José Maria da Silva, 77 anos, mora na Rua Joaquim Gomes Bernardes, bairro Marília:

“Fizeram um trabalho muito bom e não temos mais problemas com enxurrada. Como essa rua é mais baixa que as outras, a água descia inundando tudo e meu quintal ficava alagado. Agora a água desce, mas tem onde escoar”.

 

 

 

 

Antônio Geraldo Gomes, 78 anos, mora na Av. Getúlio Vargas, bairro Gomes:

“As obras que fizeram aqui resolveram nosso problema. Isso tudo aqui alagava, chegava a entrar água na casa dos vizinhos e não dava para atravessar a rua. Felizmente não temos mais inundações”.

 

 

Regina Alves Fialho, 36 anos, trabalha na Ascalp, bairro Paradiso:

“Antes de instalarem esse bueiro, a frente da Ascalp ficava toda empoçada de barro, e dificultava demais o nosso trabalho nos dias de chuva. Mas agora ficou bom”.

 

Audiência Pública – Lei Orçamentária Anual

A Prefeitura Municipal de Lagoa da Prata realizou na manhã do dia 28/08 uma Audiência Pública a respeito da Lei Orçamentária Anual, no Teatro Fausto Resende. Esta é uma reunião que acontece anualmente, para que as secretarias apresentem as ações e o planejamento orçamentário do ano subsequente.

Toda a população foi convidada a participar, e assim expor suas demandas, questionamentos e sugestões quanto ao orçamento de 2020, envolvendo as  secretarias municipais de Obras, Transporte e Limpeza, Meio Ambiente e Desenvolvimento Econômico.

Anita Bessas, Secretária de Obras da Prefeitura Municipal, explica que a Prefeitura já trabalha com um orçamento definido, porém, é na Audiência Pública que se estabelece as prioridades de atendimento em Obras e algumas demandas específicas. “De uma forma geral, está no orçamento o custeio da máquina pública, folha de pagamento e materiais de consumo e construção. Isso tudo entra no nosso orçamento, além de novos investimentos para o ano que vem. A apresentação dos dados na audiência é para ouvir os anseios da população e definirmos o que é prioridade para entrar no orçamento 2020”, disse.

Prefeitura inaugura auditório do Cemei Alexandre com capacidade para 225 pessoas.


A Prefeitura Municipal de Lagoa da Prata inaugurou no dia 6 de julho o AUDITÓRIO JACQUELINE ROCHA DE OLIVEIRA BAIA, com capacidade para abrigar 225 pessoas. A obra se refere à conclusão da segunda fase da construção do Centro Municipal de Educação Infantil (Cemei) Alexandre Bernardes Primo, no centro da cidade, que agora totaliza a área de 1.042,45 m2.

Em um espaço de 503,25 m2, o auditório possui palco; sanitários masculinos e feminino (acessíveis a pessoas portadoras de necessidades especiais); biblioteca; sala de professores com lavabo; pergolado; cobertura para cama elástica; parquinho com piso revestido em grama sintética e salas para almoxarifado, diretoria e supervisão.

A escola foi fundada há mais de 60 anos, e antes era chamada de Dona Tilosa. No início do ano passado ela foi demolida para dar lugar às novas instalações, com o planejamento para duas fases de construção. A primeira parte foi entregue em outubro, uma edificação que transformou o local em um ambiente bem mais amplo, moderno, confortável e dentro dos padrões de acessibilidade. O investimento nestas duas obras totalizou quase R$2 milhões em recursos próprios do município.

Reforma do vestiário do campo de Martins Guimarães

A Prefeitura Municipal, através da Secretaria de Desportos, reformou o vestiário do campo de futebol de Martins Guimarães. Para os moradores, o campo é um importante local de lazer, convivência, e, claro, estímulo à prática de esportes.

Gilfar Alves, secretário municipal de Esportes, esteve no local para reafirmar o compromisso do município com os martinenses. Ele foi recebido pelos jogadores do União Martinense, que demostraram alegria e gratidão, como disse o presidente do clube, Jeandre Carlos Oliveira: “Esse campo aqui é muito especial para toda a comunidade, e eu quero agradecer ao Gilfar e ao prefeito Paulinho pelo apoio”.

O apreço pelo campo de futebol também é visível nas palavras do morador Ricardo Henrique: “Meu lazer é aqui, desde a minha infância. Agora meus filhos começam a desfrutar do campo para se inserirem no esporte também. Agradeço à prefeitura por estar investindo em Martins Guimarães, porque, além disso, estou muito feliz com o asfalto que chegou para nós depois de tanto tempo”.

Administração 2017/2020 – De mãos dadas com o povo.

Quiosque na praia

A cidade de Lagoa da Prata possui uma riqueza natural, que é um manancial raro em toda região centro oeste de Minas Gerais.
O Parque Ecológico é cercado por uma bela paisagem arborizada e uma extensa lagoa.

A Praia Municipal receberá, muito em breve, um Quiosque com estrutura moderna e aconchegante, enriquecendo ainda mais os momentos de lazer, buscando desta forma atender com mais conforto os visitantes do nosso Cartão Postal.

Na maquete virtual, você pode conferir a estrutura rica em detalhes, que busca oferecer um molde característico de um passeio na praia.

Administração 2017/2020 – De mãos dadas com o povo.

Asfalto para Martins Guimarães

As obras de pavimentação da estrada que dá acesso ao Distrito de Martins Guimarães estão a todo vapor, aproveitando bem o tempo de estiagem para os trabalhos. Enquanto isso, o tráfego de carros acontece pelo trecho conhecido como “Estrada do Lixão”.

Foram investidos quase R$ 1 milhão pela Prefeitura Municipal de Lagoa da Prata para asfaltar este percurso, que tem 2,7 quilômetros.  O traçado original da estrada está sendo mantido, entretanto, houve necessidade de um desvio em torno de 200 metros devido a um fator geológico.

Durante muitos anos a população do local esperou por este feito, são cerca de mil moradores, mais os funcionários da região que vão todos os dias para as duas fábricas instaladas lá, e bastante pessoas de Lagoa da Prata que possuem casas de veraneio  no distrito.

A empresa responsável pela obra é a Terra Sul, que tem sede em Betim e possui uma usina de asfalto na cidade de Arcos. Dependendo da estabilidade climática, a obra será concluída em março.

Lagoa da Prata em desenvolvimento A pavimentação prossegue nessa administração.

Vamos apresentar os trabalhos que estão sendo executados no Bairro Sol Nascente, bairro este que já foi beneficiado por esta administração com 90% de pavimentação.

Ruas que já estão sendo pavimentadas e outras preparadas são:
– Vilico de Moraes / Amancio Bernardes dos Santos/ José Alexandrino de Almeida / Rua da Rede Ferroviária / Maria de Jesus Oliveira / Travessa da Felicidade.

Em 2019, teremos outros trechos do bairro pavimentados e, sendo assim, teremos a conclusão de pavimentação total do Bairro Sol Nascente, que conquistou a realização desse sonho por meio do compromisso firmado por este governo.

Administração 2017/2020 – De mãos dadas com o povo.

Vão começar mais duas obras para conter as inundações

O SAAE irá iniciar nos próximos dias de janeiro mais duas obras na cidade para conter os problemas das chuvas. Uma delas será na Avenida Isabel de Castro, no trecho que segue da Embaré para a Apae, com a duplicação da manilha que canaliza o Córrego Chico Silveira, o que irá dobrar a capacidade de escoamento de águas pluviais.

A outra que também vai começar neste mês é na Rua Rede dos Ferroviários, realizando trabalhos de canalização das águas escoadas das partes mais altas dos bairros Santa Helena e Maria Fernanda I, que é a região da Igreja São Sebastião. Com certeza, na próxima estação das chuvas, a população já irá perceber a melhoria.

Além dessas obras, que são de extrema importância, visto que as chuvas estão cada vez mais fortes causando inundações e transtornos para a população, várias outras de drenagem já foram realizadas pelo SAAE junto com a atual administração. Em setembro foi dado início às instalações das “barraginhas” dentro do Parque Ecológico Francisco Assis Resende, que fica entre a Praia Municipal e a Av. das Palmeiras, mais conhecida como Avenida do Contorno.

Barrajinha dentro do parque ao redor da Praia

As barraginhas irão filtrar a água da chuva que será coletada pelas caixas colocadas na avenida, de maneira que a enxurrada não irá mais assorear a lagoa. Isso trará vários benefícios, pois quando chove desce muita lama, prejudicando o meio ambiente e causando transtorno para as pessoas que caminham na orla da Praia, para os moradores do Sol Nascente, e também para os veículos que trafegam na pista.

 

 

 

Avenida Isabel de Castro

No mês passado foi concluído um projeto para prever obras que possam resolver de vez os problemas das inundações que acontecem no trecho entre a Embaré e o Bairro Cidade Jardim. Entretanto, de acordo com o diretor-adjunto do SAAE, Astácio Correia Neto, o custo previsto de R$ 33 milhões está fora do alcance do município, e demanda verba do governo federal. Neto disse que cabe também aos vereadores a tarefa de ajudarem na busca desses recursos com deputados, e que o SAAE irá se empenhar para viabilizar a execução desse projeto.

Quanto aos recursos que foram gastos com as drenagens já realizadas, o diretor ressalta que a administração municipal que mais investiu em obras de captação de águas pluviais, durante todo o tempo que ele atua no SAAE, é a atual gestão: “Eu estou há três décadas no SAAE e conheço bem a situação. Posso dizer que nunca houve uma administração anterior à do Paulinho e Roberto que fez tantos trabalhos de drenagem como eles estão fazendo”, elogia.

Neto explica que antigamente não eram exigidas obras de drenagem para novos loteamentos. “Há pouco tempo é que começaram a exigir pavimentação e rede de esgoto para as empresas colocarem novos lotes à venda, mas tinham esquecido de incluir nas exigências drenagem de águas pluviais. Além disso, os prefeitos anteriores não investiam nisso. Foi em 2013, no primeiro mandato desta gestão, que a drenagem passou a ser exigida das loteadoras e já existia um acúmulo de necessidades pela expansão da cidade. Neste mesmo ano a prefeitura já deu início a várias obras, começando pela Rua Paraíba, que na época era a mais problemática em inundações. Temos emergência porque estamos vivenciando situações atípicas de chuvas cada vez mais intensas”, disse o diretor.

 

Outras obras já realizadas

Dentre os trabalhos realizados pela atual administração municipal, junto com o SAAE, para melhorar o escoamento das águas pluviais, também estão:

– A Rua Paraíba era o ponto da cidade que mais dava problemas de inundação. Ela recebeu a primeira obra de drenagem de águas pluviais, em 2013, na primeira gestão Paulinho e Roberto.

 

– Colocação de caixas receptoras de água, mais pavimentação, na Rua Alagoas do Bairro Paradiso, com escoamento para o Córrego Chico Messias.

– No bairro Marília também tinha uma situação de muito alagamento, nas mediações da Rua Samuel Bernardes, em que foram feitas obras abrangendo parte do Bairro Paradiso, passando pela Rua Raul Gomes, Saint’Clair Doco e outras até a Creche da Embaré.

– Também no Paradiso, próximo à Ascalp, havia muitos alagamentos pelas águas que escoavam principalmente do Bairro Marília. Lá foi feita canalização começando no Córrego Chico Messias até onde o local onde está o comércio ‘Franguinho’.

– No Bairro Gomes, dois pontos onde aconteciam muitas inundações receberam os reparos, nas mediações do cemitério. Nas ruas Geraldo Silva e Aloísio Santana, e no final da Getúlio Vargas, próximo ao depósito da UD, onde os moradores tinham muitos problemas e agora foi resolvido.

 

 

 

Skip to content