Leilão de carros usados

A Prefeitura Municipal de Lagoa da Prata realizou na manhã dia 21 um leilão de veículos usados na garagem da Secretaria de Transportes. Trata-se de carros muito desgastados pelo uso, cuja manutenção já não é mais viável, e que já foram substituídos por uma frota nova. Eles somaram dezessete lotes colocados à venda:  14 veículos pequenos, um trator, uma patrola, e um conjunto de pneus.

Cerca de 50 pessoas participaram dos lances presencialmente e pela internet.  Em  menos de duas horas todos os itens foram arrematados, resultando o total de R$238.950,00. Este valor será repassado ao município pela empresa BRF Leilões, de Belo Horizonte, que foi licitada e contratada para realizar o leilão.

 

Os números mostram que nossa cidade está bem mais segura

As estatísticas policiais de Lagoa da Prata vêm apresentando queda significativa no índice de crimes violentos. Nos últimos três anos, a redução foi de 37,15%.  Em 2017 o número deste tipo de crime era de 218 ocorrências, enquanto em 2018 foram registradas 159, e no ano de 2019 elas diminuíram para 137.

Este é um resultado importante do policiamento que tem sido feito na nossa cidade, um trabalho conjunto entre as polícias Militar e Civil e a Guarda Civil Municipal (CGM). Quanto aos investimentos que o município tem direcionado à Segurança Pública, os agentes da Guarda Civil Municipal (GCM) hoje contam com mais recursos para exercerem suas tarefas, sejam elas de forma preventiva ou repressiva:

  • Implantação do Sistema de Videomonitoramento;
  • Intensificação do Policiamento Preventivo;
  • Ampliação do Patrulhamento Escolar;
  • Ações conjuntas com as demais forças de segurança pública;
  • Operação Natal Seguro

As 15 câmeras de monitoramento que a atual administração municipal implantou nos bairros já possibilitaram a solução de inúmeros crimes, além de inibir a violência na cidade. Elas vigiam os pontos onde tinham mais registros de delitos, com transmissão das imagens em tempo real, durante as 24 horas do dia. Mais 20 câmeras já foram licitadas para compra.

Outra conquista importante, que melhorou significativamente o patamar de policiamento de Lagoa da Prata, é o armamento dos agentes da GCM. Nossa guarda municipal foi a primeira das guardas mineiras interioranas a ser armada, e esse avanço permitiu o patrulhamento mais intensivo. Agora os agentes podem fazer mais abordagens em parceria com as outras polícias armadas.

 

Mais uma vez, a cidade está com alto risco de Dengue

O levantamento do índice de infestação do Aedes aegypti, feito este mês, mostrou que 98% dos focos estão dentro das residências e comércios.

O setor de Vigilância Epidemiológica, da Prefeitura Municipal de Lagoa da Prata, apresentou nesta semana o resultado do LIRAa (Levantamento de Índice Rápido para Aedes aegypti). A pesquisa, realizada do dia 06 ao dia 10 de janeiro, apontou 6,7% de infestação do mosquito na cidade, número considerado de alto risco.

A equipe dos agentes de epidemiologia vistoriou nesses cinco dias o total de 1.283 imóveis e encontrou 98,2% dos focos do mosquito dentro das residências e comércios. Apenas 1,8% foi encontrado em terrenos baldios, ou seja, os locais de maior proliferação do Aedes são os que possuem moradores ou funcionários.

Em 2019 o Brasil registrou quase mil mortes por dengue, e em Lagoa da Prata foram três óbitos. Para o secretário municipal de Saúde, Geraldo Almeida, ainda há comodismo das pessoas em geral pois, mesmo sabendo a gravidade da situação, continuam permitindo a proliferação do Aedes aegypti: “As pessoas, no geral, precisam sair da mesmice e tirar 15 minutos pelo menos uma vez por semana para uma inspeção em suas casas e locais de trabalho, eliminando tudo que acumula água parada”, disse.

Geraldo também disse que o Setor de Vigilância Epidemiológica agirá com maior rigor quanto à aplicação de multa para pessoas que tiverem suas casas ou lojas com reincidência de focos, conforme a Lei Municipal 005/1991. O valor da multa é uma UFMLP (Unidade Fiscal do Município de Lagoa da Prata) para a primeira reincidência, que corresponde a R$369,14. A medida é para fazer com que as pessoas que ainda não cuidam dos seus imóveis tenham ações mais efetivas, passando a evitar a proliferação do mosquito.

O LIRAa  aconteceu em todos os bairros da cidade e em todos eles foram coletadas larvas. O Centro é o bairro com maior número de focos, e na sequência vêm: Sol Nascente, Santa Eugênia, Gomes, Maria Fernanda II, Chico Miranda, Cidade Jardim, Santa Helena, Santa Alexandrina, Monsenhor Alfredo, Américo Silva, Maria Fernanda I, Marília, São Francisco, São José, Rodolfo Pio, Nossa Senhora das Graças, Clara Luciano, Cohab Américo Silva e Santa Eugênia II.

Skip to content